Na Jornada Pedagógica anterior, podemos entender a diferença entre Educação Especial e Educação Inclusiva. Também esclareceu-se que todas as escolas devam ser inclusivas, já que atendem estudantes de diferentes culturas, etnias, situação socioeconômica, com ou sem deficiências,
dificuldades de aprendizagem, entre outras. Na perspectiva inclusiva, ninguém é igual a ninguém e sendo assim, nenhuma característica humana deve servir de motivação para exclusão ou acesso parcial à escolarização. Neste sentido, a proposta e implementação de estratégias/atividades não presenciais, para este período de isolamento social, deve considerar todas e todos estudantes, e qualquer outra forma que dispense ou deixe de lado crianças, jovens ou adultos que apresentam necessidades educacionais específicas (NEE) configuram exclusão ou discriminação. Contudo, esta Jornada apresenta variadas estratégias e possibilidades, que auxiliará educadores nos momentos de planejamentos.