António José Barradas Barroso
Membro Correspondente da Academia
Residente em Parede – Portugal

UM INSTANTE DE AMOR

Foi apenas num momento, num instante,
que o amor surgiu entre nós dois,
tu me olhaste com desvelo,
e eu depois,
senti-me tão feliz, tão radiante,
que acariciei o teu cabelo.
Quando, por fim,
te aninhaste no meu peito,
bem juntinha de mim,
senti-me comovido e satisfeito
por sentir todo o teu calor.
E os teus olhos, tão embaciados,
estavam, de tal forma, enamorados,
que só me falavam de amor,
com a suave luz duma sinceridade pura.
Eu sei que tu me queres como eu te quero,
que me olhas sempre confiante,
sem cansaço, sem fadiga,
com o mesmo carinho e com ternura
que me mostraste naquele instante,
minha doce cadela! Minha amiga!