PREFEITURA SE REÚNE COM EQUIPES DIRETIVAS DAS ESCOLAS PARA ESCLARECIMENTO SOBRE A SUSPENSÃO DAS ATIVIDADES ESCOLARES

Adaptado de: www.riogrande.rs.gov.br

Na manhã da última segunda-feira, 16, a Prefeitura do Rio Grande, por meio da Secretaria da Educação (SMEd), realizou reunião com as equipes diretivas das escolas que compõem a rede municipal de ensino. O encontro, que ocorreu no salão nobre da Prefeitura, foi agendado para orientações e esclarecimentos a respeito da suspensão das atividades do calendário escolar municipal, ação preventiva em virtude da pandemia do Corona Vírus. A contar desta terça-feira, 17, serão 21 dias de paralisação, prazo que poderá ser revisto conforme necessidade.

Na oportunidade, ficou definido que as escolas manterão os atendimentos administrativos durante o período de suspensão. Para isso, a Secretária da Educação, Vanessa Pintanel, recomendou o trabalho seja realizado a partir de revezamento de funcionários, para que não haja muitas pessoas atuando no mesmo período no mesmo espaço. Foi estabelecido, ainda, turno único para todas as escolas, que manterão seus serviços administrativos no período das 13:30 às 17:30. Outras questões que surgiram durante a reunião ainda serão analisadas pela SMEd e pelos órgãos de saúde e divulgadas assim que forem encaminhadas.

A atividade foi aberta pelo prefeito Alexandre Lindenmeyer, que ressaltou que todas as ações que estão sendo planejadas e desenvolvidas pela prefeitura visam minimizar os impactos da doença no município. “Nós não temos nenhum caso registrado em Rio Grande, apenas um caso suspeito que foi enviado ao laboratório para análise. E no Brasil temos visto um crescimento de casos confirmados, o que nos preocupa. Isso nos desafia a trabalharmos na prevenção. A alternativa é a prevenção, a mudança de hábitos, pelo menos durante um determinado período. É um momento passageiro. E nós estaremos adotando também outras medidas em outras áreas do município nos próximos dias, talvez algumas já a partir de hoje. Desde casas de idosos até o transporte coletivo, nós estamos tratando com o tema. É um conjunto de ações a serem postas em prática para que, daqui uns meses, nós possamos dizer que o efeito do vírus em Rio Grande foi pequeno. E para isso é necessária a prevenção”, argumentou.

A secretária Vanessa Pintanel frisou que não se trata de um período de férias, e que as medidas encaminhadas devem ser respeitadas para que atinjam os resultados esperados. “Não são férias e nem antecipação de férias, e isso é muito sério. Se está se tomando uma medida para diminuir o contato entre as pessoas e a circulação, isso tem que ser levada a sério. Nós estamos aqui mexendo na vida de milhares de pessoas. Foi algo muito pensado e muito discutido antes de chegarmos a essa decisão. A partir de amanhã todos os alunos e professores estão dispensados para que permaneçam em casa e as equipes diretivas vão se organizar para que o atendimento das escolas continue, com revezamento de pessoal. Nossa intenção não é promover o pânico entre as pessoas, mas conscientizar para que a gente possa prevenir o maior número de pessoas de serem atingidas por essa doença”, declarou.

Para o secretário de Saúde, Maicon Lemos, ações de prevenção como essa podem evitar grandes impactos na nossa cidade. “Trata-se de uma medida preventiva para evitar que tenhamos em nosso município um número de situações relacionadas a essa pandemia. A decisão de suspender o calendário nesse momento atende orientações de se evitar aglomeração de pessoas e circulação de pessoas. É um momento no qual vamos refletir sobre os hábitos que terão que ser tornar regulares. Durante o período de suspensão, nós estaremos subsidiando a Secretaria da Educação sobre como oportunizar um retorno em condições adequadas para os nossos alunos. Então eu gostaria de reforçar que Rio Grande está a frente de vários municípios com a ideia de prevenção”, Afirmou.

Por meio de manifestações de representantes da área da saúde municipal, também foram repassados recomendações sobre a doença e a respeito dos cuidados necessários para evitar a proliferação do vírus, como a higienização das mãos, evitar contatos e aglomerações de pessoas e usar o braço para bloquear tosse e espirros. “Nós estamos lidando com um quadro de gripe. Ela é bem mais leve que a H1N1 de 2009, se transmite com mais facilidade e a letalidade é mais baixa. O vírus fica nas superfícies, e pode ficar até nove horas. Evitar aglomerações é uma maneira de diminuir a transmissão e a circulação do vírus. (..)Todas as ações que estão sendo tomadas são para evitar que se tenha uma epidemia local. Vocês diretores são muito importantes para repassar essas informações para seus colegas, para os professores das escolas, e informar para os pais que não é férias. Não é para os alunos telefonarem para os colegas e combinarem de ir para o shopping, por exemplo. Isso tem que ser evitado. Então vocês diretores têm que ter conhecimento e tranquilidade para transmitir essas medidas,” destacou a gerente do Núcledo de Vigilância Epidemiológica, Dra. Shirley Cardone.

Segundo Michele Menezes, superintendente da Vigilância em Saúde, a paralisação das atividades escolares também é motivada pela grande transmissibilidade das crianças, apesar de salientar que elas não se enquadram no grupo de risco, que inclui principalmente idosos e pessoas com doenças pré-existentes, como diabetes e hipertensão. “As crianças não estão no chamado grupo de risco, mas elas têm uma transmissibilidade altíssima. A criança, por exemplo, poe a mão no chão e depois na boca, pega o colega na mão e depois põe a mão na boca ou no olho. Então essa transmissão entre elas é muito maior. E elas não são muito sintomáticas. O que temos visto na Europa e na China é que a grande parte das crianças não tem apresentado sintomas graves. Então essa transmissão do vírus é ainda maior por não apresentarem sintomatologia. Por isso refletimos e optamos por iniciar pelas escolas esse cancelamento”, explicou.