Arquivo do Autor

Fonte: www.riogrande.rs.gov.br

A Meta 1 do Plano Nacional de Educação (PNE) estabeleceu que, até o ano de 2016, o Brasil alcançasse a cobertura plena da população de 4 a 5 anos em idade de pré-escola. Além disso, estabeleceu que a cobertura de crianças de 0 a 3 anos de idade em creche devesse alcançar a marca de, pelo menos, 50% até o final da vigência do Plano, em 2024.

 

Na contramão da redução de verbas destinadas à Educação, o município de Rio Grande está entre os que estão fazendo o “dever de casa” e já alcançou parte desta meta, tendo hoje 100% de crianças na idade de 4 a 5 anos matriculadas na Educação Infantil. O dado oficial é da Secretaria de Município de Educação.

Na última semana o secretário de Educação de Rio Grande e presidente da União dos Dirigentes Municipais de Educação do Rio Grande do Sul (Undime/RS), André Lemes, participou de um seminário promovido pelo INEP para apresentação do Relatório do 2ª Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação (PNE).

Sobre o cumprimento da meta a nível municipal, o gestor da pasta de Educação falou dos desafios e destacou os resultados positivos da Rede Municipal de Ensino. “É uma meta desafiadora. Hoje 100% das nossas crianças de 4 a 5 anos estão matriculadas na Rede Municipal. Neste ano abrimos turmas novas em diversas escolas, contratamos novos professores para atender a demanda. O que não anula o trabalho realizado através das equipes do Busca Ativa Escolar, para identificar as que, por ventura, não estão”, explica o secretário.

Em Rio Grande, no ano 2013 existiram 1.800 crianças matriculadas na Educação Infantil, hoje já são 5.000. O município continua trabalhando na construção de novas creches para ampliar esse número, e gerar mais 3.000 vagas destinadas às crianças de 0 a 3 anos. “Nossa expectativa é de que até 2020 essas vagas estejam disponíveis, fechando, portanto, o alcance da Meta 1, quatro anos antes do prazo estipulado pelo plano”, pontua.

O relatório apresentado durante o seminário apontou que 97,8% da população brasileira em idade entre 6 e 14 anos frequentava ou já havia concluído o Ensino Fundamental até o final de 2017. Em Rio Grande, no que tange ao Ensino Fundamental, são aproximadamente 500 crianças fora da escola. O dado é do trabalho realizado localmente pelas equipes do Busca Ativa Escolar. O perfil é de jovens maiores de 15 anos que deixaram a escola regular e acabaram migrando para a Educação de Jovens e Adultos, por opção das próprias famílias. “É uma realidade preocupante”, argumenta o secretário.

A Meta 3 do PNE fixou a universalização do acesso ao Ensino Médio para toda a população de 15 a 17 anos e a elevação da taxa líquida de matrículas no EM para 85%. No país inteiro são mais de 900.000 meninos e meninas nessa faixa etária que não frequentam o Ensino Médio, cuja competência é do estado. “São indicadores que nos preocupam sobremaneira. Aqui em Rio Grande nós assumimos também o desafio de buscar estes jovens que deixaram o Ensino Médio, realizar um mapeamento e com ele trabalhar para o melhoramento dos fluxos de aprendizagem. Com os dados organizados, iremos demandar ao governo do estado que assuma sua responsabilidade de manter os jovens no ensino médio”, explica André.

Além da participação de Rio Grande no seminário do INEP, o município também esteve representado no encontro promovido pelo Ministério Público Estadual no Rio Grande do Sul, na última sexta-feira (8), que tratou sobre a “Distorção de Idade de Série no Ensino Fundamental”.

A presença do município em encontros como estes são fundamentais. Entre 497 cidades gaúchas, a Secretaria de Educação de Rio Grande foi a única que teve representação no encontro do Relatório do 2ª Ciclo de Monitoramento das Metas do Plano Nacional de Educação (PNE). Para nós é muito simbólico. Conhecer os indicadores com antecedência, colaborar no debate, leitura dessas informações, e nos encaminhamentos para resoluções dos problemas, representa o compromisso que nós temos com a Educação aqui no nosso município. Mostra também o nosso protagonismo na articulação com as instâncias deliberativas do nosso país. É uma maneira de fortalecer a nossa cidade”, completou André Lemes.

Projeto Busca Ativa Escolar

Rio Grande aderiu ao projeto em julho do ano passado. A “Busca Ativa Escolar” é uma plataforma gratuita que ajudo os municípios a combater a exclusão escolar, desenvolvida pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) em parceria com a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), o Colegiado Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social (Congemas) e o Instituto TIM.

A intenção é apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão. Por meio da Busca Ativa Escolar, municípios e estados terão dados concretos que possibilitarão planejar, desenvolver e implementar políticas públicas que contribuam para a inclusão escolar.

A Busca Ativa Escolar reúne representantes de diferentes áreas – Educação, Saúde, Assistência Social, Planejamento – dentro de uma mesma plataforma. Cada pessoa ou grupo tem um papel específico, que vai desde a identificação de uma criança ou adolescente fora da escola até a tomada das providências necessárias para a matrícula e a permanência do aluno na escola. Todo o processo é feito pela internet e a ferramenta pode ser acessada em qualquer dispositivo como computadores de mesa, computadores portáteis, tablets, celulares (SMS) ou celulares (smartphones). Há também formulários impressos para agentes comunitários e técnicos verificadores que não têm acesso a dispositivos móveis.

Formação Continuada de Professores da Rede Municipal de Ensino

A Rede Municipal de Ensino de Rio Grande trabalha com um calendário anual para a formação continuada de professores e professoras das escolas da Rede. São realizados encontros, oficinas, palestras, vivências, entre outros. Oportunidade em que os docentes compartilham saberes, metodologias e aperfeiçoam o trabalhado desenvolvido em sala de aula.

A parceria com a Universidade Federal do Rio Grande – FURG é um destaque forte e positivo no processo de formação dos professores da Rede. Entretanto, a maior aposta da Secretaria Municipal de Educação está na formação continuada em serviço, através dos espaços de hora-atividade dos professores. Rio Grande, na contramão de vários municípios brasileiros, não só manteve como ampliou a hora-atividade para todos os professores da rede. “Hoje temos todos os professores da educação infantil e do ensino fundamental com esse espaço garantido para planejamento e formação em serviço. Foi um compromisso que assumimos e que estamos cumprindo“, finalizou o gestor da pasta de Educação no Município.

Assessoria de Comunicação/PMRG

A Secretaria de Município da Educação de Rio Grande (SMEd), através dos Núcleos dos Anos Iniciais e Finais do Ensino Fundamental, promoverá, no dia 26 de junho, às 14h, no Teatro Municipal, Encontro Formativo “As Contribuições da Neurociência para a Prática Docente”, com a palestra da Prof.ª Dr.ª Fernanda Antoniolo Hammes de Oliveira.

 

Para participar do Encontro, os(as) professores(as) do Ensino Fundamental que atuam nas escolas da rede pública municipal de ensino devem realizar a inscrição, no período de 11 a 21 de junho, através do site www.riogrande.rs.gov.br/smed

As vagas são limitadas e as inscrições serão encerradas no momento em que as mesmas forem preenchidas. Clique AQUI para fazer a sua inscrição.

 

SMEd
Roberton Reis
Com informações dos Núcleos dos Anos Iniciais e Finais do Ensino Fundamental

Divulgação

Na próxima terça-feira, dia 19 de junho, das 8h30min às 11h30min e das 14h às 17h, na Sociedade Cultural Águia Branca, acontecerá o “1º Viva Mulher”, ação social promovida através da parceria entre o Psicólogo Vinícius Rodrigues, a Escola Municipal de Educação Especial Maria Lucia Luzzardi e a Associação de Pais e Amigos dos Autistas de Rio Grande (AMAR), e elaborada especialmente para todas as mães de da Escola.

SMEd
Roberton Reis
Com informações da EMEE Maria Lucia Luzzardi

Divulgação

 

SMEd
Roberton Reis
Com informações da EMEF Cidade do Rio Grande/CAIC

Fonte: www.riogrande.rs.gov.br

Lutar pela inclusão e pelo respeito à diferença. Neste sentido, a Prefeitura Municipal do Rio Grande segue avançando, superando desafios e buscando alternativas para melhorar a qualidade de vida das pessoas. Na tarde de hoje (14) o município deu mais um passo importante, naquela que é considerada uma referência nacional na educação de pessoas surdas: a Escola Municipal de Educação Bilíngue Carmen Regina Teixeira Baldino. A aula inaugural do projeto Jiu-Jitsu sem barreiras, coordenada pela Secretaria de Município de Turismo, Esporte e Lazer (SMTEL), sob a supervisão do mestre Max Lima, também servidor da pasta, cativou o público presente, que foi contagiado com a alegria e os sorrisos de pequenos desportistas.

Vestidos com seus kimonos, os alunos e alunas da instituição municipal de ensino deram mostras de que a inclusão social também é possível, através do esporte. De acordo com a gestora da SMTEL, Surama Santos, a proposta dialoga com um dos principais eixos do governo municipal, que é a inclusão. “É um projeto que temos trabalhado, de maneira muito minuciosa, desde o final do ano passado e que muito nos alegra estar, hoje, em atividade”, disse. Segundo ela, todo o material necessário para a realização das aulas, como o tatame e os kimonos, foram adquiridos pela pasta e distribuídos gratuitamente para os estudantes.

A diretora da escola, Cristiane Fernandes, também comemorou a iniciativa. “Os surdos sentem muito o impacto da nossa sociedade. São muito participativos, mas se deparam, diversas vezes, com as dificuldades da comunicação. A execução deste projeto dentro da escola é um grande ganho para os nossos alunos e alunas, pois proporcionará à eles o acesso ao esporte aliado à comunicação, intermediada pela língua brasileira de sinais”. De acordo com a diretora, cerca de 40 pessoas serão beneficiadas pelo projeto nesta primeira etapa, com aulas todas as quintas-feiras, das 13h30 às 15h30.

O prefeito Alexandre manifestou a sua satisfação por mais este avanço, agradecendo o empenho e a dedicação da direção, professoras e demais integrantes do projeto. “Quero saudar a todos e todas que se envolveram nesta pauta tão significativa para o nosso governo, que é a inclusão. Quando optamos pela criação desta escola, ainda em meados de 2015, atendíamos 12 pessoas, hoje, já são quase 100 e isso é muito simbólico para nós. Que possamos seguir construindo coletivamente e multiplicando essas ações para outros tantos lugares”, concluiu.

Participaram do ato, ainda, o superintendente da SMTEL, Jorge Neubert, a assessora pedagógica das Relações Étnicos-Raciais da Secretaria de Município da Educação, Ingrid Costa, o vice-prefeito, Paulo Renato Mattos Gomes, além de demais autoridades.

Fonte: www.riogrande.rs.gov.br

Vamos criar uma escola que vá ao encontro das demandas da nossa comunidade”, disse o Secretário de Educação, André Lemes, quando em 2013 nascia à ideia da criação de um espaço que pudesse dar a oportunidade de estudo a todos aqueles que tiveram seu percurso escolar interrompido por algum motivo. Assim nasceu a EMEJA Paulo Freire, uma iniciativa da Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria de Município da Educação, que permitiu que a ação se tornasse uma escola, instituída por decreto e que hoje compõe as 75 escolas da Rede Municipal.

 

Na noite da última quarta-feira (13), foi a vez dos moradores da Querência serem contemplados com a iniciativa. As atividades, que no último dia 5 foram inauguradas na comunidade da Mangueira, na sede da escola Ramiz Galvão, agora também serão desenvolvidas na Associação dos Moradores da Querência e é mais um passo para o avanço do município na política de inclusão de jovens e adultos ao ambiente escolar.

Reconhecendo a diversidade cultural e regional, a EMEJA Paulo Freire visa oferecer o direito à educação para aqueles que não tiveram acesso à escola na idade regular ou não puderam dar continuidade à escolarização. A instituição acredita que o direito à educação se realiza efetivamente com acesso e matrícula que garantam a qualidade do ensino, propondo uma experiência educativa construída por um coletivo de educadores e educandos, num tempo e espaço de possibilidades a todos que tiveram seu percurso escolar interrompido por razões diversas.

O secretário de Educação, André Lemes, representou o Chefe do Executivo na ocasião e, em sua fala, também parabenizou toda a equipe da SMEd pela consolidação do projeto e pelo trabalho que é desenvolvido diariamente em prol da comunidade rio-grandina. Parabenizou em especial a Presidente da Associação dos Moradores da Querência, Vani Costa, que segundo ele “é uma pessoa que nunca deixou de acreditar no potencial e de batalhar por aquilo que de fato faz significado na vida de uma pessoa que é a educação, essa pessoa com todo meu respeito e admiração é a senhora Vani”, finalizou.

Além dos já citados, estiveram presentes no evento a representante do Programa de Auxílio ao Ingresso nos Ensinos Técnico e Superior (Paiets) da FURG, Daiane Ferreira, a diretora da EMEJA Paulo Freire, Flávia Gonzales, a representante da Câmara de Vereadores, professora Denise Marques, a Vice-Presidente do Conselho Municipal de Educação, Rosana Farrius, além de vereadores, alunos da escola e familiares.

Na tarde do dia 12 de junho, o Grupo de Hip Hop da Escola Municipal de Ensino Fundamental Dolores Garcia, a convite da Associação Cultural “Rio Grande em Ação”, apresentou-se no Palco Principal da 26ª Fenadoce, em Pelotas, acompanhados pelo Professor Lucas Goulart e pela coordenadora do “Programa Novo Mais Educação” da escola, a Professora Lucenir Pereira Machado.

 

A Associação Cultural “Rio Grande em Ação” é um Projeto Sociocultural sem fins Lucrativos que há mais de 7 (sete) anos atende crianças, crianças especiais, jovens e maturidade da cidade do Rio Grande. Hoje, a Associação atende aproximadamente 9 (nove) escolas da rede pública municipal de ensino de Rio Grande, e já transformou a vida de mais de 3.500 (três mil e quinhentas) crianças só em nosso Município.

Atualmente, a associação é patrocinada pelo Grupo NC, através do BNDES, apoiada pela Prefeitura Municipal do Rio Grande e Secretaria de Município da Educação. Tem como objetivo principal fornecer possibilidades de crescimento social, cultural e intelectual aos seus alunos.

 

SMEd
Roberton Reis
Com informações da EMEF Dolores Garcia