Prefeitura lança campanha “Seja Mais: doar é um sinal de amor” e propõe ações sociais durante a pandemia de Coronavírus  

Na manhã desta quarta-feira (25), em coletiva de imprensa realizada por vídeoconferência , o Executivo Muncipal anunciou o início da Campanha Seja Mais: doar é um sinal de amor. A ação tem por objetivo incentivar a doação de alimentos não perecíveis para auxiliar às famílias em vulnerabilidade social, assim como atuar no cuidado a pessoas em situação de rua, para assim tentar minimizar os impactos sociais em nosso município durante este período de crise causada pela pandemia mundial de Coronavírus. Trata-se de uma operação transversal entre poder público, iniciativa privada, instituições de ensino, organizações religiosas, ONGs e demais entidades que atuam no atendimento social e forças armadas.   

O público alvo da campanha serão as famílias em vulnerabilidade social do nosso município, que estão registradas junto ao Cadastro Único, além de comunidades indígenas, migrantes e a população em situação de rua ou em acolhimento.  

A campanha será estruturada em uma série de eixos, que foram denominados como “Rede Acolher”. O primeiro busca a colaboração da comunidade rio-grandina ,através da doações de alimentos não perecíveis que posteriormente serão encaminhadas a quem mais precisa. Serão disponibilizados diversos pontos de doação, localizados na rede de supermercados no município, em parceria com o Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios do Rio Grande do Sul (Sindigêneros), e em sedes de entidades participantes.  

Após recebidos, os alimentos serão armazenados pelo  Mesa Brasil, programa vinculado ao SESC, e pelo Banco de Alimentos, parceiros que estarão contribuindo no cuidado desses produtos e montagem das sacolas para a entrega. A Defesa Civil de nosso município ficará responsável pela higienização dos produtos, para que não haja transmissão do Coronavíus.  A distribuição ficará a cargo da Secretaria de Cidadania e Assistência Social (SMCAS), que terá como base a relação das famílias em situação de vulnerabilidade social, indígenas e imigrantes.  

Para o prefeito, Alexandre Lindenmeyer, a ação transversal que reúne diversos setores da sociedade rio-grandina permitirá o auxílio à famílias carentes e a criação de uma rede de sustentação e enfrentamento à crise do Coronavírus “Por meio dessa parceria com supermercados, mercados e minimercados, estamos lançando uma grande campanha para o recebimento de alimentos não perecíveis, de tal maneira que a gente possa dar suporte às famílias de baixa renda que estão e que estarão passando por dificuldades de alimentação nesse período tão difícil provocado pelo Coronavírus. […]O que nós vemos através dessa parceria de entidades é que, sem dúvida, estaremos construindo uma rede de sustentação muito forte para superarmos esse momento de grande dificuldade, com a certeza de que logo ali nós teremos dias bem melhores” 

Além dos alimentos não perecíveis, também é muito importante a doação de materiais de higiene e limpeza, roupas e toalhas. Esses itens arrecadados serão higienizados pela Defesa Cívil e armazenados pelo Banco Municipal do Vestuário. O destino dos produtos está relacionado a um dos outros eixos da campanha, a “Operação Acolhimento”. 

Operação Acolhimento e o cuidado especial com moradores de rua 

 A Operação Acolhimento é resultado da cooperação entre entidades públicas e privadas. Participam diversas ONGs que trabalham com populações vulneráveis, Forças Armadas, voluntários, entre outras instituições e pessoas que se somam aos esforços da prefeitura para combater a disseminação do novo coronavírus 

O objetivo é abrigar e auxiliar as pessoas que vivem nas ruas, em vulnerabilidade social. As ações de acolhimento acontecerão no Centro de Eventos, onde serão disponibilizadas refeições diárias, espaços para banho, dormitório, entre outros serviços. O local foi escolhido pela sua constituição ampla, arejada, além de já contar com banheiros femininos e masculinos. A intenção é de que o espaço ofereça atendimento 24 horas por dia. A prefeitura procura outro espaço para oferecer serviço semelhante no Cassino. 

A secretaria de Serviços Urbanos realizou o trabalho de higienização do local. Todos os procedimentos realizados no local têm seguido as orientações da Vigilância em Saúde para evitar a transmissão do vírus, e são acompanhados pelas equipes da SMCAS e da Secretaria de Saúde (SMS).  

Em funcionamento deste ontem (24), o Centro tem recebido a instalação de chuveiros elétricos, pias nas entradas para uma primeira higienização, 100 camas com lençóis e cobertores. Em sua primeira noite de atuação, o local recebeu 25 pessoas para pernoite e, considerando janta e café da manhã, mais de 80 refeições foram distribuídas.  

A população em situação de rua é composta por grupos de pessoas que vivem em condições com alto risco de contaminação e propagação do novo coronavírus. Boa parte dessa população tem idade elevada, imunidade comprometida e hábitos de higiene que podem contribuir para o contágio com maior facilidade. 

Por esse motivo, a campanha também irá promover trabalho especial de informação a respeito do coronavírus, incluindo orientações sobre procedimentos adequados de higienização para evitar a transmissão do vírus. Se necessário, casos suspeitos serão acompanhados e tratados em isolamento no prédio da Assoran 

Segundo Darlene Pereira, secretária do Gabinete de Programas e Projetos Especiais, e uma das responsáveis pela articulação de toda a campanha, destaca que a ação tem o apoio de organizações que já atuam diariamente com essas pessoas. “Para a realização dessa campanha contamos com a parceria de uma série de entidades e grupos de voluntários que já fazem esse trabalho durante o ano inteiro, e que também se colocaram à disposição para ajudar durante esse período tão delicado.[…]Um trabalho que eu acho importante a gente fazer o destaque é o Consultório na Rua, que é quem também está buscando e mapeando conosco esses grupos, salientou.  

 Darlene também explicou um dos outros eixos da campanha, que propõe o desenvolvimento de uma operação de visitas a outras instituições de acolhimento. “Para o cuidado com os idosos e com crianças e adolescentes, estamos promovendo, em parceria com a Vigilância Sanitária, uma série de visitas em todas as instituições que atuam com esse público para orientações e recomendações a respeito do Coronavírus”. Nesse contexto estão incluídas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI), Comunidades Terapêuticas e Instituições de Acolhimento às Crianças e Adolescentes, que receberão visitas periódicas de equipes da SMS, SMCAS, Vigilância Sanitária e Conselhos de Fiscalização. 

Disque Acolher 

A Prefeitura também disponibilizou um serviço para atendimento a comunidade, com esclarecimentos às dúvidas a respeito das ações e políticas públicas em desenvolvimento, além de orientações a respeito das doações. Os telefones são: 3233- 6050 e (53) 991319297 (apenas para Whats App). 

“O atendimento também vale para doações sem sair de casa. Se várias pessoas em um condomínio querem doar alguma coisa, reúnam os produtos e nos avisem que vamos disponibilizar uma forma de recolher. Se souberem de algum morador de rua que ainda não conseguimos acessar, ou alguma pessoa em vulnerabilidade social, podem nos avisar por esses números também. Dúvidas que tenham quanto ao tipo de atendimento que nós estamos oferecendo, também podem ser esclarecidas pelo telefone, é uma forma de acolher as dúvidas que a comunidade tem. E estamos disponíveis também pelo WhatsApp  para alguma denúncia ou informação sobre algo irregular”, finalizou Darlene Pereira. 

 

São Parceiros:  

Guanabara; 

 Big; 

Mesa Brasil; 

 IFRS; 

Milleniunn; 

Banco de Alimentos; 

 FURG; 

Igreja Católica; 

Conselho de Pastores Evangélicos; 

União Espírita; 

Projeto Esperança Viva; 

Comunidade Renascer no Espírito; 

Quinta-feira Santa; 

Rio Grande Sem Fome; 

Anjos da noite; 

Mais que amigos do bem; 

Marinha do Brasil; 

Exército Brasileiro. 

 

Assessoria de Comunicação PMRG