Operação Acolhimento inicia no Centro de Eventos

Uma ação conjunta entre a Prefeitura do Rio Grande, ONGs, grupos voluntários, instituições religiosas e as Forças Armadas preparou, no Centro de Eventos, uma estrutura para atender pessoas em situação de rua. O local conta com dormitórios, 50 beliches com jogo de cama completo, refeitório, áreas de lazer com televisores e mesa de ping-pong, armário individual guarda-volumes, banheiros e cabines de banho quente.

O objetivo, de acordo com o secretário-adjunto da pasta da Cidadania e Assistência Social (SMCAS), Chendler Siqueira é realizar um acolhimento institucional por 24 horas, como prevenção a circulação dessa população nas ruas da cidade, o que aumenta, consideravelmente, as chances de serem infectados pelo novo coronavírus, pois “há falta de acesso a estruturas para eles realizarem uma higiene pessoal regular e exposição aos locais públicos com grande circulação de pessoas”.

Na entrada do Centro de Eventos, é feito um protocolo de higiene imprescindível para poder acessar ao dispositivo. Os usuários chegam e recebem sabão e são, imediatamente, encaminhados para lavarem as mãos na pia localizada na entrada do prédio. Em seguida, recebem roupas, toalha e sabonete e são encaminhados para o banho. Só então podem acessar o interior do prédio com dormitórios, área de lazer e refeitório. Toda vez que eles precisam sair para as ruas e ao retornarem precisam repetir todo o procedimento de higiene antes de entrar.

A Assoram, o Centro Pop, o Consultório na Rua e o Serviço Especializado em Abordagem Social estão cumprindo sua jornada de trabalho diretamente no abrigo municipal. Ou seja, nas suas sedes não está sendo ofertado os seus respectivos serviços.

Durante a ação no Centro Municipal de Eventos, existe um cronograma de atividades. Começa com o despertar, às 7h30min, café da manhã às 8h30min, 10h ao meio-dia, entretenimento, almoço até 14h, 14h às 16h, tempo livre, 16h às 18h, café e janta às 20h30min. A hora de dormir inicia às 22h30min.

Em relação à alimentação, o Restaurante Popular está garantindo o almoço. Outro destaque está em relação às jantas servidas no local. Elas são por conta das ONGs que estão contribuindo com essa ação: Projeto Esperança Viva, Amigos do Bem, Quinta-feira Santa, Anjos da Noite, Casa de Resgate e Assoran. Os cafés são divididos entre a Assoran e o Centro Pop.

Chendler comenta que foi fundamental o trabalho realizado pelas equipes da Secretaria de Município de Controle e Serviços Urbanos (SMCSU). “Essas equipes foram fundamentais para a montagem de toda essa estrutura”, frisou o adjunto da SMCAS. E lembra aos interessados em fazer qualquer doação que elas são bem vindas no próprio local.

Assessoria de Comunicação PMRG