Notícias

INVESTOPEM APROVA INCENTIVO PARA IMPORTANTE EMPREENDIMENTO NO MUNICÍPIO

O Investopem, um programa inédito de incentivos municipais para atração de empresas, criado pela Prefeitura do Rio Grande, aprovou nesta terça-feira, 19, apoio a mais um empreendimento para o município. Trata-se da implantação da Âmbar Colofônias, que produzirá breu e terebentina, sendo 80% da produção para os mercados europeu e americano, ficando o restante para o mercado interno.

A Âmbar Colofônias é uma empresa do grupo Flopal, que já atua na região. O gerente industrial Luiz Elody Lima Sobreiro, explica que a indústria irá processar resina de pinus eliotis, gerando dela dois produtos: breu e terebentina.

O breu é utilizado como matéria-prima para a indústria de tintas, borracha, adesivos, cola e até na indústria alimentícia, especialmente de goma de mascar. A terebentina é utilizada na indústria de medicamentos, perfumaria, cosméticos e germicidas.

O investimento será localizado numa área de quatro hectares do Distrito Industrial, exigindo investimentos de US$ 1 milhão nessa primeira fase. O início da produção está previsto para junho de 2005, gerando 40 empregos na empresa e mais 150 na atividade florestal.

O representante da empresa salienta a possibilidade de outras empresas, que necessitam do breu e terebentina, também virem para Rio Grande com esse empreendimento. Luiz Elody Sobreiro também elogiou o Investopem, salientando que “o investimento está se tornando realidade graças ao apoio da Prefeitura”.

ROTEIROS TURÍSTICOS SERÃO LANÇADOS DIA 5 DE NOVEMBRO

O lançamento institucional dos dez roteiros turísticos, elaborados pelo Plano Turístico “Rio Grande Cidade Inesquecível”, da Prefeitura Municipal em convênio com a Fundação Universidade Federal do Rio Grande, acontecerá no próximo dia 5.

De acordo com Abdo Nader, Secretário Municipal de Habitação e Desenvolvimento, o lançamento dos roteiros deverá constituir um marco para o desenvolvimento turístico do município já que pela primeira vez os atrativos turísticos existentes foram organizados e estruturados na forma de produtos, que poderão ser comercializados em todo o estado e país.

As grandes operadoras e agências aguardavam essa iniciativa do município, demonstrando grande interesse em oferecer como destino a nossa cidade, afirmou o secretário.

Conforme o professor, Antonio Valente, coordenador do plano turístico, os roteiros foram desenvolvidos a partir das estratégias de marketing e produto definidas para o município no final de 2003, por ocasião do lançamento das Diretrizes Gerais do Plano.

Ao longo de vários meses e com a participação de inúmeros setores da comunidade foram criados e aperfeiçoados, 10 produtos destinados a diferentes segmentos de turistas, em função de uma motivação específica para conhecer Rio Grande.

Segundo Valente, essa proposta segue a tendência atual do Turismo, que é a segmentação dos mercados.

Os 10 roteiros, que terão o patrocínio da Superintendência do Porto do Rio Grande (SUPRG) abordam os temas: “Rio Grande, Cidade Histórica, Cidade do Mar;” “Rio Grande, “Cidade Inesquecível”; “Rio Grande: Aqui Nasceu o Rio Grande do Sul”; “Cassino: Sol e Mar na Maior Praia do Mundo (Guinness Book, 1994)”; “Ecoturismo no Extremo Sul”; “Turismo Náutico no Estuário da Lagoa dos Patos”; “Pesca nos Molhes da Barra e na Lagoa dos Patos”; “Rio Grande Inesquecível para a Melhor Idade”; “Roteiro Artístico-Religioso da Cidade do Rio Grande” e “Roteiro da Engenharia e Arquitetura na Cidade do Rio Grande”

Será dada ênfase, nesta primeira fase do Plano para o Turismo de Lazer, Histórico, Estudantil, Cultural, de Pesca, Náutico, Sol e Mar, da Terceira Idade, Artístico-religioso, Técnico, Ecológico e Ecoturismo, aproveitando os atrativos naturais e culturais existentes, e sem necessidade de grandes investimentos.

Para a qualificação dos serviços prestados, especialmente pelo setor da gastronomia e hotelaria, além dos guias de turismo, estão

sendo realizadas inúmeras ações visando o treinamento de pessoal com o apoio do Projeto Costa Doce/SEBRAE-RS, através também de convênio com a Prefeitura Municipal.

Secretário da Educação participou de debate sobre a “Municipalização do Ensino Fundamental”

Na terça-feira (17) o secretário de Município da Educação de Rio Grande, André Lemes da Silva, esteve no município de Restinga Sêca, onde foi convidado para falar aos prefeitos e secretários de educação dos 33 municípios integrantes da Associação dos Municípios do Centro do Estado (AMCENTRO), sobre o tema da “Municipalização do Ensino Fundamental”. Na […]

SMTEL e Programa Esporte e Lazer da Cidade promovem evento no Lar Gaúcho

A Prefeitura Municipal do Rio Grande, por meio da Secretaria de Turismo, Esporte e Lazer (SMTEL) juntamente com o Programa Esporte e Lazer da Cidade (PELC), promovem no próximo sábado (9) o 4º Macroevento do PELC na Praça do Lar Gaúcho, localizada na Rua Senador Roberto Kennedy. Na ocasião serão proporcionadas atividades físicas, culturais e de lazer a fim de promover a integração social.

O PELC é um convênio entre o Ministério do Esporte e a Prefeitura Municipal do Rio Grande executado pela SMTEL. O objetivo do Programa é democratizar o acesso da população acima de 45 anos ao Esporte e ao Lazer, de forma a promover o desenvolvimento humano, a inclusão social, a melhora e/ou manutenção da saúde e a qualidade de vida. Atualmente o PELC subdivide-se em quatro núcleos nos bairros Parque Marinha, São Miguel, Querência e Vila da Quinta, sendo aberto ao público.

Confira a Programação do Evento:

15h – Abertura Oficial do Macroevento;

16h – Oficina de alongamento (Prof.ª Suelen Brum);

16h30 – Aulão de Dança;

17h – Grupo de Animação do Núcleo da Vila da Quinta do (PELC);

17h30 – Apresentação do Grupo Tchê Forró;

19h – Encerramento do evento.

Assessoria de Comunicação/PMRG

 

Prefeitura lança projeto Empresa Amiga dos Animais do Rio Grande

O Executivo Municipal, através da Portaria Conjunta nº 001/2016 da Secretaria de Meio Ambiente (SMMA) e da Coordenadoria Municipal de Defesa dos Direitos Animais, criou na última sexta-feira (10) o projeto “Empresa Amiga dos Animais do Rio Grande”. O projeto visa certificar a ação dos empreendedores que apoiam projetos públicos ou da sociedade civil para a proteção dos direitos dos animais, conservação de áreas de reprodução de espécies e ecossistemas.

De acordo com a Portaria, são consideradas como ações objeto de certificação pelo Município:

a) A doação de recursos financeiros para o Fundo Municipal dos Direitos dos Animais, conforme inciso I, do art. 15 da Lei Municipal nº 7.581, de 1º de abril de 2014;

b) O patrocínio de ação de educação ambiental destinadas à defesa dos direitos dos animais, à proteção, defesa e reprodução de espécies ambientalmente ameaçadas ou raras;

c) A doação de recursos materiais e técnicos à Coordenadoria de Defesa dos Direitos dos Animais, incluindo remédios, ração e material técnico de consumo;

d) O investimento na implementação de unidades de conservação privadas em locais destinados à reprodução de espécies ameaçadas e pousio de aves;

e) O pagamento de serviços ambientais destinados ao atendimento público e gratuito da saúde dos animais;

f) O apoio material e financeiro para a castração de cães e gatos;

g) Dentre outras ações assemelhadas.

Os certificados do projeto têm validade de 1 (um) ano, devendo ser revalidados periodicamente pelas empresas participantes mediante análise de comissão constituída pelas duas unidades. Não são elegíveis para a certificação as empresas que tenham sido condenadas administrativa, civil ou penalmente por danos ambientais ou desrespeito à legislação de proteção dos animais, que promovam a comercialização de animais ou promovam o seu abate, encomendem testes laboratoriais com a utilização de animais ou patrocinem eventos que causem algum tipo de sofrimento dos animais.

“Existem muitas pessoas e empresas que hoje patrocinam e promovem, no âmbito das suas ações de responsabilidade social ou ambiental, a proteção dos direitos dos animais, de espécies nativas ou de companhia, em projetos governamentais ou da sociedade civil. Tais iniciativas merecem ser reconhecidas e incentivadas, pois a proteção do ambiente ecologicamente equilibrado e dos direitos das outras espécies, inclusive dos animais, é um compromisso coletivo. Nesse sentido, a certificação pública é apenas o início de uma relação que deve ser aperfeiçoada ao longo do tempo”, reforçou Sandro Miranda, secretário da SMMA.

Com informações da SMMA